Foto: Carlos Camalhete / CC https://www.flickr.com/photos/profcarlos/

Quantos caminhões-pipa garantiriam o abastecimento de água em São Paulo?

A presidente da Sabesp, Dilma Pena, assumiu em 15 de outubro: no ritmo atual, a água do Cantareira acaba em meados de novembro – ela se referia ao primeiro lote do volume morto. Também é o que mostram os piores cenários projetados pelo SãoPa para o possível apagão hídrico. Fica a dúvida: de onde pode vir a água se o Cantareira realmente acabar?

Caminhões-pipa podem dar conta do recado? Impossível.

O consumo de água na Grande São Paulo foi de 1,93 milhão de m³ por dia, em média, em junho deste ano (1). O Cantareira abastece 45% da região. Nesse caso, estimamos que 870 mil m³ de água tiveram origem no Cantareira, por dia.

Para transportar este volume, seriam necessários 87 mil caminhões-pipa de 10 m³. Repetindo: 87 mil caminhões-pipa, diariamente. Seria preciso transformar três quartos da frota total de caminhões da cidade em transportadores de água (segundo o Denatran, São Paulo tem 116 mil caminhões, de todos os tipos).

Mas, mesmo se tivéssemos uma frota suficientemente grande e avenidas só para os caminhões, ainda haveria o problema de onde captar a água.

Só o Hospital das Clínicas precisaria de quase 300 caminhões-pipa por dia

Vamos olhar para o caso isolado do Hospital das Clínicas, localizado em uma região atendida pelo Cantareira. A instituição tem um consumo médio de água de 89 mil m³ por mês. Isso equivale a 297 caminhões-pipa por dia, em média (2).

Veja abaixo o que significam 297 caminhões-pipa na Avenida Doutor Arnaldo, onde está o Hospital das Clínicas. Os veículos ocupariam as 8 vias da avenida (4 em cada sentido), desde a esquina com a Rua Teodoro Sampaio até o acesso à Avenida Paulista. O trecho ficaria completamente fechado para o restante do tráfego, como na imagem abaixo. Todos os dias.

Agora, imagine cenas como esta em toda a cidade. Daria roteiro de filme de ficção científica.

As linhas vermelhas mostram o espaço que seria ocupado pelos quase 300 caminhões-pipa necessários para abastecer o HC, diariamente.

As linhas vermelhas mostram o espaço que seria ocupado pelos quase 300 caminhões-pipa necessários para abastecer o HC, diariamente.

1) Último dado disponível, enviado pela Sabesp após pedido pela Lei de Acesso à Informação.

2) O dado está no “Plano de Contigência II”, documento enviado pela Sabesp para a Agência Nacional de Águas, em junho de 2014.

3) Foto do topo: Carlos Camalhete

Posted in Ambiente and tagged , , , .